LABORATÓRIO NEUROGENE - Whatsapp: (48) 99864-4498

PCR PARA TRANLOCAÇÃO BCR/ABL - CROMOSSOMO PHILADELPHIA

A leucemia mielóide crônica se caracteriza na maioria dos casos, pela presença de uma anormalidade genética que foi chamada de cromossomo Philadelphia. O cromossomo Philadelphia é uma anormalidade que envolve os cromossomos de números 9 e 22. Esses cromossomos se quebram e trocam partes entre si. Esta alteração é chamada translocação e o novo cromossomo que se forma é denominado Philadelphia ou translocação t(9:22).

Fig. 1 Cromossomo Philadelphia (Ph). Translocação recíproca entre os cromossomos 9 e 22; t (9;22) (q34;q11).

Método
O teste bcr/abl pela técnica RT-PCR (Reação em Cadeia da Polimerase com transcrição reversa) em RNA extraído de sangue ou medula óssea, é qualitativo e permite o diagnóstico de certeza da presença – ou da ausência – do transcrito quimérico resultante da translocação recíproca entre os cromossomos 9; 22 que origina o cromossomo Philadelphia.

Material
•5ml de Sangue com EDTA ou 3ml de Medula Óssea com EDTA.

Prazo de Entrega
• 20 dias úteis


PCR PARA TRANSLOCAÇÃO 15;17 (PML-RARA)

Leucemia Promielocítica Aguda (LPA), representa 5 a 8% das Leucemias Mielóides Agudas e ocorre em qualquer faixa etária e está associada a coagulação intravascular disseminada. A translocação t(15;17) envolvendo os protooncogenes PML (promielocítico) e RAR nos cromossomos 15q e 17q, respectivamente, presentes na Leucemia Mielóide Aguda é do tipo M3.

Método

No Laboratório Neurogene, esse rearranjo é detectado por técnica de RT-PCR. O teste é feito pela técnica RT-PCR (Reação em Cadeia da Polimerase com transcrição reversa) em RNA extraído de sangue ou medula óssea, é qualitativo e permite o diagnóstico da presença – ou da ausência da translocação 15;17.

Material
• 5ml de Sangue com EDTA ou 3ml de Medula Óssea com EDTA.

Prazo de Entrega
• 30 dias


 

 

 
TIM + Whatsapp: (48) 9.9864-4498