LABORATÓRIO NEUROGENE - Whatsapp: (48) 99864-4498
Untitled Document
:: FISH
          

ANOMALIAS NAS DOENÇAS HEMATOLÓGICAS

Estas alterações são adquiridas. A partir da amostra de medula óssea é possível fazer o cariótipo para detecção de leucemias,linfoma,,e doenças oncohematológicas de uma forma geral.

As translocações, trissomias e deleções cromossômicas são comuns nas doenças hematológicas.

Normalmente existem alterações estruturais características de um determinado tipo de leucemia. Por exemplo, a t(9;22)(q34;q11) é uma anomalia típica de Leucemia Mielóide Crônica (LMC), podendo aparecer algumas vezes em pacientes com Leucemia Linfocítica Aguda (LLA) .
Fig:


Cromossomo Ph1 ou 46,XY, t(9;22)(q34;q11)


Outra Leucemia com anomalia cromossômica comum é a Leucemia tipo M3- A leucemia promielocítica aguda (LPA) é um subtipo de leucemia mielóide aguda (LMA) responsável por 10% de todas as LMAs. A citogenética convencional, através da análise do cariótipo, é altamente específica . Este teste possui uma sensibilidade de detectar ma células alteradas com a mutação , mas sua metodologia só permite analisar quando estas se encontram em metáfase.

Leucemia (LPA),Tipo M3


MÉTODO:


A medula óssea é aspirada pelo médico especialista e enviada para o laboratório em temperatura ambiente não sendo necessário o uso de gelo. O envio da amostra para o laboratório deverá ser imediato.

Este material se diferencia do sangue periférico, devido a rapidez que deverá ser processado. A medula é implantada em cultura direta, 24 e 48 horas em estufa a 37ºC para crescimento celular. Uma vez as células em divisão, agentes químicos (Colcemid ou Colchicina e Brometo de Etídio) são utilizados para obtenção de cromossomos metafásicos.

Após esta etapa, outros reagentes são realizados para o processo final celular : hipotonização, fixação e lavagens sucessivas e por fim a execução das lâminas, Após a fixação das células , o material final é gotejado na lâmina .O processo de coloração e realizado através de diversas técnicas,sendo o Bandeamento ¨G ¨( coloração Giemsa) o mais comum em nosso laboratório.
São analisadas por microscopia óptica, de 10 a 20 células por paciente. Muitas amostras (medula óssea) apresentam-se pobres em relação a cultura, não se obtendo o número ideal de células necessárias. São obtidas fotos de algumas metáfases, e uma delas é utilizada para o laudo descritivo final do paciente.

Material

• 1-2 mL de sangue de medula com heparina

Prazo de Entrega

• 15 dias



 

 

 
TIM + Whatsapp: (48) 9.9864-4498